domingo, 30 de março de 2008

NÃO PENSAR

Vou abordar uma velha questão que penso que ainda não a abordamos no blog e que é uma questão que quando só é abordada internamente não muda a mentalidade das pessoas.

Constantemente se ouve certos comentários sobre o que as pessoas pensam sobre o escutismo. E o problema não são as opiniões das pessoas quem pensam sobre os escuteiros, são sim as opiniões das pessoas que não pensam sobre o escutismo. Como é possível que alguém que não pense sobre determinado assunto tenha o direito de “opinar”, sobre ele, de uma forma puramente crítica?

Destaco aqui os humoristas, apesar de compreender que o seu ganha-pão é lançar umas piadas sobre as pessoas e admitir que os seus trabalhos na maioria têm piada, pois os seus textos que na realidade não passam de mera invenção das suas cabeças acaba por ganhar raízes nas cabeças de quem não conhece o movimento. Fazendo que muitas pessoas optem por não pensar sobre o movimento e apenas deitar para fora o que ouviram porque é engraçado. O que demonstra realmente que, “pensar incomoda como andar à chuva!”.

Tudo isto apenas com o intuito de abordar a formação dos jovens, que é o ponto essencial do nosso movimento. Reparamos nas últimas semanas em casos extremos de falta de formação por parte dos alunos em relação às professoras. Isto, é apenas uma das pontas desde iceberg. É tão fácil depararmo-nos com situações da mesma natureza, basta olharmos para qualquer desporto de competição, onde se atinge proporções inimagináveis, ou vendo o comportamento dos miúdos na rua. De facto, e como todos sabemos, a nossa sociedade preza a violência. Onde, de forma mais ou menos implícita, é absorvido pelas crianças em formação. Agora é extremamente estranho que determinadas pessoas fiquem estupefactas com estas situações quando as mesmas perdem tempo a minorar os movimentos de educação dos jovens.

Tenho realmente pena que a nossa sociedade esteja a regredir na educação, porque não são pode castigar os meninos porque é anti-pedagógico.

Lamento que se viva numa sociedade de palas e que ninguém tente dar força à educação dos jovens. Pois alguns serão o futuro mas agora nós somos o presente. E alguns destes jovens do presente não possuem valências na educação que lhes permitam fazer a sociedade evoluir.

5 comentários:

Diana C disse...

Talvez haja alguma influência do cenáculo para andares a pensar nisto? =P

Mas pronto, até disseste coisas decentes. Um post teu q é minimamente sério =)
Até citaste uma frase de Pessoa..

Mas ao ler a parte da agressão dos alunos e dp de tanta piada de ontem, lembro-me: DÁ-ME O TELEMÓBEEEL, JÁÁÁ!

E uma boa semana p todos :D *



Raul continua a postar q nós gostamos ^^ *

Miste disse...

Bem verdade. É óptimo ler quando escreves em tom irónico mas também é bom "ver-te" a falar a sério.

E, sim, foi o Cenáculo que te inspirou com certeza ;)

Só faltou escreveres em árabe :OO

Persephone disse...

Jizas. N sabia q tb sabias dizer coisas sérias :O Isso é msm assim, cm dizes. Felizmente temos um clã de gente GRANDE q tem noção desses problemas tds da sociedade e q pode sempre fazer alguma diferença. Podem dizer o q quiserem sobre nós pq sabemos mt bem o q é o escutismo e o q quem está de fora anda a perder. Já tinha saudades de uma actividade cmo o cenáculo, onde se nota bem aquilo que valemos. É mt bom fazer parte de um grupo de pessoas tão fora do normal (pra MT bom ^^).

HAVE A NICE DAY :D
**

Anónimo disse...

grande Raúl.
De facto nós somos o presente e o Futuro. e acreditem que o futuro depende de pessoas com garra como nós!
Patrícia

Anónimo disse...

Patrícia Barros